Depois de uma safra de soja muito desafiadora, sojicultores aguardam pelos resultados do 14º Desafio CESB. O evento concede premiação para as maiores produções a nível nacional e regional, como também oferece um termômetro sobre a produtividade da sojicultura brasileira por meio de laudos e relatórios de auditoria realizada nas fazendas que cumprem os critérios de participação.

As inscrições para esta edição se encerraram em 31 de janeiro, e são mais de 5.400 produtores que concorrem aos títulos de campeão nacional do Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja, com premiação também para os sojicultores com maiores produtividades em cinco regiões, nas categorias lavoura irrigada e sequeiro.

Uma das mudanças que a premiação recebe em 2022 é a separação entre as regiões Norte e Nordeste, como uma maneira de adequar as avaliações ao contexto produtivo. Os bons resultados de produção nessas regiões levam à necessidade de dedicar atenção direcionada com exclusividade para os produtores, assim, a auditoria consegue uma avaliação mais precisa, com classificação que reflete as conquistas em cada área da sojicultura nacional.

Desafio CESB: história e valores

Criado em 2008, o Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja é uma iniciativa do CESB (Comitê Estratégico Soja Brasil) que tem por objetivo estimular o rompimento de tetos produtivos na sojicultura brasileira. Patrocinada por empresas importantes para o agronegócio, como a Syngenta, a premiação alcança cada vez mais produtores a cada edição.

O incentivo a bater recordes de produtividade nas lavouras de soja tem demonstrado resultados nos últimos anos. Os sojicultores inscritos no Desafio CESB apresentam índices de produtividade muito superiores à média nacional. Na safra 2020/21, a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) calculou uma média de 58 scs/ha, enquanto os 10 primeiros colocados no Desafio representaram 119,8 scs/ha.

Estiveram elegíveis para auditoria no 13º Desafio CESB 381 sojicultores, que apresentaram produtividade acima de 90 scs/ha. Para acompanhar o incremento de produtividade geral, a premiação aumenta o patamar de produção na edição de 2022, podendo concorrer aqueles que apresentarem produtividade acima de 95 scs/ha, sendo essa a segunda mudança significativa do processo de avaliação das fazendas inscritas.

Vencedores do 13º Desafio Cesb

Na safra passada, na região Sudeste, Marcos Felipe Reis Veiga, proprietário da fazenda São João das Vitórias, foi o sojicultor campeão, com resultados de 113,99 scs/ha. Para atingir esse marco na safra 2020/21 de soja, as lavouras avaliadas pela auditoria do CESB contaram com a eficiência das soluções do portfólio Syngenta voltado para a sojicultura.

Ao falar sobre os resultados da premiação, Veiga destacou a parceria com a empresa como uma das grandes aliadas para alcançar a conquista de campeão sudeste do 13º Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja. Ano a ano, o sojicultor vê sua produtividade aumentar a partir da aplicação das soluções de manejo inovadoras, prática que favorece o alcance de desempenhos excelentes.

Confira o depoimento do campeão:

Avaliações e revelação dos resultados do 14º Desafio Cesb

Neste ano, os campeões serão revelados durante o 14º Fórum Nacional de Máxima Produtividade de Soja, que ocorrerá em 23 de junho, a partir das 8h30 (horário de Brasília), com transmissão ao vivo em diversos canais da imprensa do setor agropecuário.

As avaliações foram realizadas nos últimos meses, nas fazendas que atenderam ao critério de um teto mínimo de 95 scs/ha. O processo de auditoria é criterioso, dividido em três etapas:

  1. Pré-colheita: avalia a qualidade do estande, a altura das plantas e a condição das vagens, a fim de analisar o desempenho do desenvolvimento da cultura.

  2. Colheita: verifica-se a extensão da área de amostragem selecionada pelo agricultor para ser avaliada no Desafio (de 2,5 a 10 ha) e faz-se o acompanhamento da operação de colheita.

  3. Pós-colheita: são feitas coletas de amostras para verificação da qualidade do grão, e auditores acompanham o carregamento do produto colhido, que passa por pesagem em plataformas e emissão da classificação dos grãos do lote.

Com isso em vista, são determinados os campeões das cinco regiões e o maior produtor de soja de todo o Brasil. O grande desafio é alcançar maiores resultados de produtividade em um mesmo espaço, explorando técnicas sustentáveis, tecnologias inovadoras e eficientes e beneficiando-se das pesquisas que são desenvolvidas no setor, a fim de ampliar cada vez mais a produção nacional de soja.

Pesquisa e tecnologia que amparam o sojicultor

Com essa iniciativa, o CESB incentiva os sojicultores a se manterem atualizados em relação aos padrões de qualidade e às tecnologias desenvolvidas para o setor, além de oferecer a cada um dos concorrentes laudos e relatórios detalhados sobre as áreas auditadas.

O objetivo para o 14º Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja é ambicioso: superar as 129,16 scs/ha, resultado campeão do Desafio em 2021, alcançando o rompimento do teto produtivo da soja brasileira.

Essa meta é desafiadora, mas não impossível para o produtor que estabelece um planejamento de produção amparado por conhecimentos técnicos, tecnologias de ponta e soluções de manejo inovadoras.

A equipe da Syngenta acompanha de perto o andamento do Desafio CESB ao longo dos anos, e visa contribuir para o cumprimento das metas de produtividade, oferecendo sempre os melhores produtos para o manejo nas lavouras. Um exemplo é o lançamento de Adepidyn, a nova molécula multicultura simplesmente poderosa no controle de doenças que veio para revolucionar a produção de soja.

O 14° Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja poderá ser acompanhado ao vivo nos seguintes canais:

A Syngenta está ao lado do produtor rural em todos os momentos, com o objetivo de impulsionar o agronegócio brasileiro com qualidade e inovações tecnológicas.

Acesse o portal da Syngenta e acompanhe os conteúdos do Mais Agro para saber tudo o que está acontecendo no campo!