Inovações e tendências no agronegócio | Mais Agro
Logo Syngenta

Pós-colheita: importância e necessidade do processo no café 

Processo de pós-colheita do café garante mais valor agregado e uma série de benefícios na xícara. Entenda o valor do trabalho de pós-colheita.

Inovações e tendências

Nucoffee apresenta inovações no Seminário Internacional do Café de Santos

O Seminário Internacional do Café contou com a participação da Nucoffee, que apresentou suas inovações e tecnologias para a cafeicultura brasileira.
Mais vistos

Novo grupo químico para o controle da mancha-alvo na soja

A mancha-alvo é causada pelo fungo Corynespora cassiicola e, embora possa ocorrer em todas as regiões produtoras de soja no país, é na região Central que encontra as condições climáticas favoráveis para se estabelecer, causando perdas significativas de produtividade, que podem ultrapassar os 40%. Segundo dados da FMT, para a safra 2022/23, a incidência de […]

Ambimobilidade e o ineditismo no controle de pragas do algodão

O algodão – uma das principais culturas agrícolas do mundo, em que o Brasil ocupa a quarta posição entre os maiores países produtores – sofre com o ataque de pragas, que podem acometer desde a raiz até os capulhos, em qualquer estádio fenológico da planta. Quando esse é o tema, a mosca-branca (Bemisia tabaci) e […]

Inovações e tendências

Adepidyn™: a nova molécula fungicida simplesmente poderosa

Sem tempo para ler? Clique no play abaixo para ouvir esse conteúdo! Na agricultura, um dos grandes desafios dos produtores, a cada safra, é o aparecimento de doenças causadas por diversos patógenos que comprometem a produtividade dos mais diversos cultivos. Com isso, o desenvolvimento de novas tecnologias fungicidas, com alta performance de controle, torna-se cada […]
Ler mais

Inovações e tendências

Chegou Syngenta Biologicals: inovação movida pela natureza

Syngenta Biologicals marca uma nova era com produtos biológicos inovadores para uma agricultura mais produtiva e sustentável
Ler mais

Inovações e tendências

Nova forma de translocação de inseticidas: a ambimobilidade

A mobilidade dos inseticidas nas plantas após a sua aplicação é uma característica fundamental para ser observada no controle eficiente de pragas agrícolas. A capacidade de um inseticida em translocar, ou se movimentar dentro da planta, interfere diretamente na sua eficiência e pode ser determinante para o sucesso do controle de pragas.  Nesse contexto, os […]
Ler mais
Ver Também

Conheça a solução biológica contra os nematoides da cana-de-açúcar

Compatível com vinhaça e insumos químicos, Certano™ promove maior proteção e produtividade O nematoide é conhecido hoje como uma das pragas mais limitantes para a agricultura brasileira. Atacando o sistema radicular de diversas plantas, em várias culturas diferentes, ele pode causar danos irreversíveis. Na cana-de-açúcar ele atua de forma rápida, trazendo prejuízos diretos e indiretos. […]

Inovação garante alto desempenho no combate ao bicho-mineiro

O bicho-mineiro é uma das principais pragas do cafeeiro. Joiner, enquanto solução no controle dessa praga, mostrou excelentes resultados.

Agroverso: Syngenta lança plataforma que leva o agro para o metaverso

Com o setor cada vez mais conectado e digitalizado, o Agroverso cria oportunidades para conectar produtores, criar experiências imersivas e impulsionar os negócios

Cupping: como funciona e para que serve?

O processo de cupping revolucionou a cafeicultura brasileira. A técnica elaborada pela SCA - Specialty Coffee Association, ajudou o mercado a entender melhor sobre os cafés especiais e a precifica-los.

Pós-colheita: importância e necessidade do processo no café 

Processo de pós-colheita do café garante mais valor agregado e uma série de benefícios na xícara. Entenda o valor do trabalho de pós-colheita. ...

Processamento aumenta a qualidade dos cafés brasileiros e a rentabilidade do produtor

Ao longo dos anos, o Brasil se especializou em produzir cafés da mais alta qualidade, e é inegável que o processo de pós-colheita é essencial nessa trajetória. Esta etapa envolve o processamento dos frutos do café, que pode ocorrer de diversas formas. Atualmente, esse processo é utilizado não só para evitar perdas, mas também para potencializar a qualidade dos frutos.

Cada produtor define seu método de pós-colheita, e não há regras específicas sobre as etapas a serem seguidas. No entanto, as condições de investimento de cada propriedade, os equipamentos disponíveis, o clima e a região influenciam essa decisão e precisam ser analisados cuidadosamente. No Brasil, vale destacar que, por volta de 1999, quando os cafés especiais começaram a ganhar o mercado, os processos de pós-colheita passaram a ser mais introduzidos nas propriedades.

O que acontece na pós-colheita do café?

Após serem colhidos, os grãos de café precisam ser limpos e esta é a primeira etapa do processo. Nas fazendas este momento é conhecido como “abanar” o café. Nesse momento, são retiradas as impurezas, como folhas, galhos, ramos, terra e pedras. Em seguida, o produtor inicia a lavagem e separação dos grãos, que podem ser divididos em: frutos cereja e verdes (grãos totalmente maduros e/ou quase maduros) e frutos “boia” (grãos em fase de passas, secos ou danificados).

Processamento por via seca ou via úmida?

Existem diferentes métodos para a lavagem e separação dos frutos. O processamento por via seca separa os grãos em lotes, que são encaminhados diretamente para a secagem, resultando em cafés naturais. Já o processo por via úmida, comum em muitas fazendas brasileiras, separa os frutos cereja (maduros), passando-os pelas etapas de despolpamento, fermentação e remoção da mucilagem antes da secagem.

Fermentar o café, por que e pra quê?

Com o aumento na procura por cafés especiais, processos como a fermentação, passaram a se tornar comuns na pós-colheita da maioria das fazendas brasileiras. Essa etapa, quando realizada, pode ocorrer em bombonas, tanques ou montes.

A fermentação é a degradação natural da polpa e da mucilagem dos grãos, que ocorre através de microrganismos, como as leveduras Artisans, que produzem compostos que vão ficar ali, por determinada hora e impactam no aroma e sabor da bebida.

Secagem e beneficiamento

Após a fermentação, seja por via úmida ou seca, os grãos são encaminhados para a secagem, onde devem atingir entre 10,5% e 11,5% de umidade para estarem aptos ao beneficiamento, armazenamento e comercialização. A secagem pode ser realizada em secadores rotativos, estáticos ou em terreiros. Em todos os métodos, é crucial que o produtor mantenha uma atenção especial para evitar a fermentação indesejada e para controlar as temperaturas acima de 40ºC.

Vantagens do processo de pós-colheita

O processo de pós-colheita ajuda muitos produtores a reduzir defeitos intrínsecos e extrínsecos nos grãos de café, além de contribuir para a extração de bebidas de melhor qualidade, que recebem pontuações mais altas e conquistam novos mercados.

O investimento em recursos e tempo retorna em uma maior rentabilidade para os produtores que conseguem direcionar esses cafés de forma adequada. As práticas de pós-colheita, quando realizadas de maneira eficiente, impactam diretamente na qualidade final da bebida, que alcança um maior valor agregado.

A Syngenta está ao lado do produtor rural em todos os momentos, oferecendo as soluções necessárias para construirmos, juntos, um agro cada vez mais inovador, rentável e sustentável.

Confira a central de conteúdos Mais Agro para ficar por dentro de tudo o que está acontecendo no campo.

Ler mais