Por sua importância na produção agrícola brasileira, que impulsiona a economia nacional, especialmente pela exportação de grãos e de seus derivados, a sojicultura recebe incentivos para realização de pesquisas e desenvolvimento de formulações inovadoras no controle de doenças que acometem as lavouras e reduzem a produtividade das plantas.

Oídio, ferrugem-asiática, DFCs (Doenças de Final de Ciclo) e antracnose estão entre as ameaças que causam sintomas severos nas plantações de soja e que representam um desafio de manejo para o produtor rural. Isso porque o comportamento dos patógenos muda a cada ciclo, sendo necessário um estudo recorrente da estrutura dos fungos para desenvolver soluções fitossanitárias que funcionem de maneira efetiva em seu sistema e alcançar resultados superiores de controle nas lavouras.

Com acesso a produtos de manejo que têm efeitos efetivos contra um amplo espectro de doenças, o sojicultor consegue a conveniência e a praticidade necessárias para otimizar as operações nas lavouras, sendo possível controlar a maioria das ameaças sem investir em uma grande quantidade de soluções. Dessa forma, torna-se viável uma lavoura protegida e com alto potencial produtivo a partir de escolhas mais sustentáveis dentro do processo de produção de soja.

A nova era de fungicidas, conquistada depois de muitos anos de pesquisas e desenvolvimento de formulações inovadoras por especialistas em manejo fitossanitário na agricultura, conta atualmente com soluções de ação translaminar e sistêmica, por meio da combinação inteligente de ativos que respondem positivamente diante de diferentes doenças em coocorrência.

Lançados no mercado em 2021, Alade® e Mitrion® são duas dessas formulações inovadoras. Esses fungicidas já apresentaram resultados superiores nas lavouras de soja na última safra, controlando com eficiência os principais alvos antes que eles pudessem afetar a quantidade e a qualidade dos grãos, por meio de aplicação posicionada na fase reprodutiva.

A seguir, serão detalhados o segredo das tecnologias aplicadas a essas formulações inovadoras e a maneira como atuam na proteção de cultivos.

Como funciona um fungicida translaminar e sistêmico?

A grande dificuldade dos produtores é manter a soja sadia desde o estágio vegetativo para conseguir maior quantidade de vagens de qualidade e, por consequência, altas produtividades na colheita. Diversas doenças da soja danificam a folhagem, diminuindo a capacidade fotossintética da planta e prejudicando seu desenvolvimento, o que implica em menor número de grãos produzidos.

Em condições mais severas, quando o manejo não é realizado no momento correto ou as aplicações não surtem os efeitos esperados, os fungos se alastram e podem comprometer outras estruturas além das folhas. Assim, afetam não apenas a produção de frutos, mas o tempo de vida da planta de soja. Infecções fúngicas que causam a morte de parte da lavoura representam um alto índice de prejuízo e o pior cenário possível para o sojicultor.

O advento de fungicidas translaminares e sistêmicos impede esse tipo de situação, aliado ao uso adequado da tecnologia de aplicação. A combinação inteligente de ativos é o fator que confere à solução fungicida a capacidade de controlar um amplo espectro de doenças, pois atua de maneiras diferentes, atingindo com eficiência organismos fúngicos diversos.

Por um lado, o efeito translaminar significa proteção completa da folha, que é o principal alvo das doenças. É conferido por conta de moléculas com alta capacidade de penetração no tecido foliar, de maneira a aderir à superfície superior da folha, translocar-se para seu interior e cobrir também a superfície inferior, protegendo contra manchas, ferrugem-asiática, entre outras doenças cujos sintomas são predominantes nas folhagens.

Por outro lado, a ação sistêmica significa que o fungicida transloca-se para diversas partes das plantas, protegendo outras estruturas além da área alcançada pela aplicação. Esse tipo de formulação permite que o produto proteja hastes, flores e frutos, controlando doenças que comprometem essas estruturas.

Assim, um fungicida translaminar e sistêmico é composto por formulações inovadoras, desenvolvidas para entregar o máximo de consistência e potência no controle de doenças da soja.

Formulações inovadoras: a composição da nova era de fungicidas

A nova era de fungicidas apresenta formulações inovadoras para proteger a cultura da soja contra um amplo espectro de doenças, com soluções compostas por dois ou três ingredientes ativos, criadas para blindar a lavoura contra as ameaças à produtividade.

Entre essas soluções, recebem destaque os produtos Alade® e Mitrion®, que apresentam alta performance de controle e seletividade.

Além de ser eficiente contra um grande número de patógenos, Alade® é ideal para qualquer situação, pois tem efeito preventivo por conta do ativo solatenol; uma carboxamida moderna que tem alta capacidade de aderência e rápida penetração nas folhas; e apresenta dupla ação sistêmica, pela combinação de dois triazóis: ciproconazol e difenoconazol.

A seguir, mais informações sobre a formulação inovadora de Alade®:

Resultados Alade

Fonte: Portal Syngenta.

Mitrion® tem máxima potência de controle, graças à combinação do melhor efeito preventivo, proporcionado pelo solatenol, e do melhor efeito curativo, fornecido pelo protioconazol. Essa formulação inovadora confere ação imediata, pois potencializa a aderência e a penetração do produto na planta. A tabela a seguir mostra mais detalhes sobre essa composição:

Resultados Mitrion

Fonte: Portal Syngenta.

Desde seu lançamento, Alade® e Mitrion® estão satisfazendo as necessidades do produtor de soja, entregando consistência e potência de controle de doenças, de maneira a proteger as plantas e a produtividade.

A eficiência de Alade® e Mitrion® no controle de doenças da soja

A consistência e a potência de Alade® e Mitrion® não ficam só na teoria do desenvolvimento de formulações inovadoras. Os produtos vêm sendo aplicados em lavouras de soja de Norte a Sul do Brasil por produtores que comprovam sua superioridade no controle de um amplo espectro de doenças.

Áreas cuja produtividade foi colocada em risco pela antracnose, por exemplo, demonstram alta transmissibilidade da doença, que se inicia na semente e alcança a parte aérea, comprometendo vagens do baixeiro, podendo reduzir grande porcentagem da produção.

Sojicultores que veem sua rentabilidade ameaçada pela incidência do fungo encontram resposta com o uso desses fungicidas, que representam uma grande revolução na proteção de cultivos.

No vídeo a seguir, é possível entender a eficiência de Alade® e Mitrion® no controle da antracnose:

Depoimentos de sojicultores e pesquisadores foram coletados pela websérie Vozes do Campo, em que se verifica o sucesso de manejo contra outras doenças além da antracnose. Oídio, mancha-alvo, ferrugem e DFCs foram controladas com sucesso com a inclusão de Alade® e Mitrion® no programa de fungicidas, em diferentes regiões do país, em lavouras sob diversas condições climáticas e com a incidência das doenças em variados estágios do cultivo.

Aplicação e benefícios de Alade® na proteção da soja

A sinergia entre os três ativos de alta eficácia que compõem Alade® maximiza o controle, oferecendo consistência contra o complexo de doenças da soja. Assim, o produto apresenta o maior espectro de ação do mercado, entregando excelentes resultados no manejo de ferrugem e manchas, como antracnose, oídio e cercosporiose.

Na prática, Alade® oferece:

  • Consistência: amplo espectro de ação.

  • Máxima proteção: melhor efeito preventivo com solatenol.

  • Dupla ação sistêmica: sinergia entre dois triazóis seletivos e de alta performance.

  • Conveniência: formulação inovadora, com tecnologia Empowered Control.

É recomendável realizar no máximo duas aplicações de Alade® durante o ciclo da soja, com intervalo de 14 dias entre as pulverizações. O posicionamento do produto é previsto no início e no final do estágio reprodutivo, combinado com multissítios.

Mais informações sobre Alade®: https://www.portalsyngenta.com.br/produtos/alade/.

Aplicação e benefícios de Mitrion® na proteção da soja

O fungicida translaminar e sistêmico Mitrion® apresenta potência máxima contra manchas e ferrugem, controlando com superioridade diversas outras doenças da soja. A velocidade de absorção do produto na planta permite alto aproveitamento da pulverização, sem risco de perdas por conta de chuvas ou irrigação. Além disso, o produtor tem a facilidade de uma mistura pronta, sem precisar adicionar outras substâncias para o preparo da aplicação.

Em campo, Mitrion® oferece:

  • Combinação inovadora: os dois ativos mais potentes do mercado.

  • Máxima potência: controle superior contra manchas e ferrugem.

  • Controle superior: melhor efeito preventivo e curativo.

  • Conveniência: formulação inovadora, com tecnologia Empowered Control.

O produto pode ser posicionado no mesmo momento de Alade®, no início e no final do estágio reprodutivo das plantas de soja, em combinação com um bom multissítio. A recomendação é de no máximo duas aplicações durante o ciclo, já suficientes para blindar as lavouras contra as doenças.

Mais informações sobre Mitrion®: https://www.portalsyngenta.com.br/produtos/mitrion/

Assim, Alade® e Mitrion® são complementares no manejo de doenças da soja, formando uma dupla consistente e potente para impulsionar a produtividade da sojicultura brasileira, em qualquer região, sob qualquer situação de clima e pressão dos patógenos, compondo o portfólio da Syngenta de formulações inovadoras amplamente reconhecidas.

A Syngenta está ao lado do produtor rural em todos os momentos, com o objetivo de impulsionar o agronegócio brasileiro com qualidade e inovações tecnológicas.

Acesse o portal da Syngenta e acompanhe os conteúdos do Mais Agro para saber tudo o que está acontecendo no campo!

,