Há 20 anos foi fundado o GTEC-Feijão (Grupo Técnico de Consultores de Feijão), como uma das frentes que promove a transferência de tecnologia necessária para que produtores rurais pudessem aprimorar seus processos de cultivo e alcançar maiores produtividades. Na ocasião, estabeleceu-se a meta tangível de alcançar uma produtividade de 6 toneladas de feijão por hectare dentro de uma mesma área, que ficou conhecida como Desafio da Produtividade do Feijão, ou Projeto 6 toneladas.

A safra de inverno de feijão irrigado, em 2022, teve a felicidade de verificar o cumprimento desse objetivo a partir de uma área produtora localizada na região do Distrito Federal e de Goiás. A fazenda gerenciada pelo Grupo MeC e que recebia consultoria técnica do GTEC colheu 6.144 kg/ha, com uso da cultivar BRS Estilo e de muitos ajustes operacionais e de manejo.

“A importância de tudo isso é que a gente troque informação, faça medidas e use essas informações para fazer ajustes finos dentro da propriedade e conseguir melhorar a produtividade, que é nosso objetivo”, comentou Willian Matte, membro do Grupo MeC, na ocasião da comemoração da conquista do Desafio da Produtividade do Feijão.

Para atingir esse resultado histórico na feijocultura brasileira, a área cultivada contou com o apoio da equipe GTEC, composta pela Embrapa, pela ABC Feijão (Associação Brasileira de Produtores de Feijão) e pela Syngenta. A conquista é um reflexo de como as parcerias entre diferentes instituições produtoras de conhecimento e de tecnologia são capazes de impulsionar o agronegócio nacional, favorecendo tanto o agricultor quanto o consumidor.

20 anos de trabalho no Projeto 6 toneladas

Nas últimas duas décadas, os esforços do GTEC-Feijão foram amplos. Ano após ano, verificou-se queda na extensão da área plantada, mas aumento de produtividade, salvo algumas exceções pontuais de safras menos produtivas, como indica a série histórica da Conab.

Esses dados indicam a potência do cultivo de feijão no Brasil, grão que faz parte do cotidiano de todo brasileiro, e demonstram a importância da transferência de tecnologia como uma medida indispensável para que os produtores rurais alcancem resultados cada vez melhores.

O trabalho do Projeto 6 toneladas, com o objetivo de alcançar a meta de produtividade do feijão, não ficou reservado ao campo, novos aprendizados, descobertas, técnicas e tecnologias foram sendo desenvolvidos ou transformados, tendo como fruto os volumes 1 e 2 do livro Principais resultados GTEC Feijão e Projeto 6 toneladas, com levantamentos do projeto nos períodos de 2002 a 2010 e 2011 a 2017, respectivamente. 

feijão

Capa dos livros lançados com a participação da Syngenta. Fonte: ABC Feijão.

O conteúdo registra as principais práticas e tecnologias para o cultivo, servindo como um ponto de referência para quem não tem contato direto e cotidiano com o grupo de consultores. As indicações que constam na publicação preveem os seguintes fatores para aumentar a produtividade:

  • conhecimento sobre a fisiologia do feijoeiro;
  • diretrizes para adubação;
  • fitotecnia: resultados da aplicação das tecnologias (semente, plantabilidade e cultivo);
  • diretrizes para controle de doenças;
  • diretrizes para controle de daninhas.

Nessas análises, o portfólio de soluções da Syngenta mostrou sua eficiência para o manejo do feijão, contribuindo também para a conquista histórica do Grupo MeC, o qual a empresa parabenizou presencialmente, durante a homenagem realizada pelo GTEC-feijão em dezembro de 2022, que visou celebrar a conquista.

 A Syngenta está ao lado do produtor rural em todos os momentos, com o objetivo de impulsionar o agronegócio brasileiro com qualidade e inovações tecnológicas.

Acesse o portal da Syngenta e acompanhe os conteúdos do Mais Agro para saber tudo o que está acontecendo no campo!