A cultura do trigo está crescendo a cada ano no Brasil, principalmente nas áreas de cultivo localizadas no Sul do país, que vêm apresentando boas condições para o crescimento da produtividade ao longo do tempo.

De acordo com o último boletim da safra de grãos divulgado pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), em outubro de 2022, a produção do cereal para essa safra poderá bater um novo recorde, de 9,4 milhões de toneladas, um volume 22% maior que na safra anterior.

No entanto, as chuvas recentes têm atrapalhado a colheita na região Sul do país, provocando atraso e uma possível perda de produtividade devido ao acamamento das plantas, que estão em fase de maturação. Além disso, o clima favorece a incidência de doenças.

Até a divulgação do progresso da safra no dia 24 de outubro, pela Conab, a colheita de trigo encontrava-se em 35,6%, um pouco abaixo, se comparada ao mesmo período de 2021, em que a colheita já havia atingido 45,9%.

Acompanhe como está o andamento da colheita nas principais regiões produtoras do país, de acordo com o boletim semanal divulgado pela Conab.

Rio Grande do Sul

Até o dia 22 de outubro, um dos principais Estados produtores de trigo havia colhido um montante de apenas 9%, já que as chuvas interromperam a colheita há algumas semanas e agora o processo está sendo retomado lentamente na região do Alto Uruguai, mas está adiantada e mais intensa nas Missões e Itaqui-São Borja.

Já nas regiões do Planalto Superior e Planalto Médio, as chuvas favoreceram o aparecimento de doenças como a giberela, no momento do florescimento e no início do enchimento do grão. Será necessário as próximas semanas para verificar se houve impacto na produtividade.

No entanto, em termos de produtividade, as lavouras, em geral, estão com resultados positivos, atingindo a expectativa de colheita para essa safra

Paraná

No Paraná, a colheita avança e alcança 54%, já que o excesso de chuvas atrasou o processo de colheita bem como ocasionou uma produtividade abaixo do esperado. Segundo o boletim da Conab, “estima-se que 12% das áreas cultivadas estejam em situação ruim”. No entanto, a expectativa é que as lavouras mais tardias apresentem bons índices de qualidade na colheita.

Santa Catarina

O Estado atingiu 8% do total de área colhida até o dia 22 de outubro. Nas áreas produtoras a colheita avança, mas as atenções estão voltadas para o aparecimento de doenças fúngicas, já que as regiões foram impactadas com chuvas frequentes nos últimos dias.

Foram registradas também perdas qualitativas e quantitativas em algumas lavouras que estão no processo de floração, mas ainda não foi registrado queda na produtividade.

Leia também

Sustentabilidade: o que é e por que é tão importante?

Boas perspectivas para a cultura do trigo

O Brasil vem registrando safras recordes para a cultura do trigo nos últimos cinco anos, passando de 4,3 milhões de toneladas em 2017 para uma expectativa de 9,4 milhões de toneladas na safra de 2022.

Segundo perspectivas da Embrapa Trigo, é provável que, na próxima década, o país venha a ser autossuficiente na produção de trigo, com aproximadamente 20 milhões de toneladas cultivadas em áreas produtoras brasileiras.

Caso isso se confirme, o Brasil produzirá todo o trigo de que precisa e poderá exportar o cereal excedente, contribuindo para a segurança alimentar mundial. Muito desse avanço se deve à evolução no manejo de doenças e pragas, que alia boas práticas agrícolas ao uso de tecnologias cada vez mais inovadoras no campo.

A Syngenta está ao lado do produtor rural em todos os momentos, com o objetivo de impulsionar o agronegócio brasileiro com qualidade e inovações tecnológicas.

Acesse o portal da Syngenta e acompanhe os conteúdos do Mais Agro para saber tudo o que está acontecendo no campo!